Uma das primeiras coisas que falo a um potencial novo cliente é “Eu não vou te dar conselhos, nem te dizer o que fazer”

Assim, isoladamente, a frase sos meio rude e arrogante e, por isso, é importante entender que não se trata de uma recusa propriamente dita mas de uma postura, bastante comum entre coaches, que busca evitar aconselhar o coachee.

“Há um bom motivo para isso?”

Eu diria que alguns … 

Um conselho, segundo o dicionário Michaelis, é um  parecer ou juízo sobre o que convém fazer. 

Julgamentos?

Coaches não julgam (ou não deveriam julgar) o cliente nem os tópicos trazidos por este. Não é nosso papel e nem da nossa conta. Estamos aqui para te ajudar e não para fazer juízo de valor.

Coaches também não decidem pelo cliente, ainda mais se levarmos em conta que o coachees tem, dentro de si, todas as respostas para as suas perguntas e inquietudes, ainda que não saibam ou não reconheçam esta realidade.

“Sei não… Como evitar aconselhar alguém ajuda as pessoas?”

O principal benefício é o resgate da auto-confiança e da auto-estima, além de reforçar a individualidade e a capacidade de realização. 

Todo mundo, incluindo você, seu chefe, sua namorada, esposa, filhos, e eu, é potente, importante e capaz de atingir objetivos, dos mais simples aos mais complexos, com as habilidades que já temos ou que podemos obter.

E, para isso não se precisa de conselhos do Coach. Técnicas e ferramentas, talvez . Conselhos, definitivamente não!

E sabe o por que?

Porque você é dono do seu nariz e não há ninguem melhor para decidir o rumo da sua vida ou te falar o que deve ser feito.

É você – e ninguém mais – quem sabe o que convém fazer (ou, talvez, deixar de fazer).

Um ajuda ou empurrãozinho podem ser necessários as vezes e não há problema algum nisso, desde que você mantenha o comando do processo. 

Essa é uma das bases de qualquer processo estruturado de crescimento pessoal. Na sua vida, o CEO é você.

Voltando ao tema, ao evitar aconselhar, evita-se também retirar do cliente a possibilidade de um contato íntimo e profundo com o que ele tem de mais sagrado: seus valores e seu propósito na vida.

O que te move? Por que – para que – e para quem – você levanta da cama todos os dias?

Se eu te fizer essas perguntas, você saberá o que responder?

Se souber, você não precisa de conselhos. Se não souber, precisa menos ainda.

Pense nisso. Se permita ser feliz por méritos próprios, sem que ninguém te diga o que fazer. Você pode e você merece essa oportunidade. Aproveite!