Há vários anos, em uma das minhas inúmeras conversas com o palhaço,  especialista em cultura e tecnologia na educação, jornalista e professor Fernando Carril eu meio que reclamava do fato de eu não conseguir escrever números para um espetáculo.

Sua resposta foi direta e certeira: “Espetáculo pressupõe que você faça algo, errr, espetacular. Por que você não muda um pouco seu olhar e trata seu número de palhaço como uma ‘apresentação’, onde o objetivo, acima de tudo, é mostrar algo, sem o peso de ser perfeito?”
Fiquei boquiaberto com a obviedade e a simplicidade – não confundir com facilidade – do que ele me propunha  e passei a adotar essa mentalidade para diversos aspectos da minha vida.
Seja como palhaço ou como Coach, falar em público é parte essencial do que sou e faço.
Pensando bem, falar em público é importante para todo mundo…
Quer ver?
Eu considero falar “em público” um pleonasmo, porque não importa se  você tem à sua frente 1, 10, 100, 1.000 pessoas,  cada um deles é seu público e sua fala é, de certa forma, uma apresentação.
Se apresentar – seja da forma que for – é, porém,  um dos maiores desafios e, porque não, medos de muita gente.
A boa notícia é que existem técnicas e ferramentas para reduzir a ansiedade e deixar você mais preparado. Vou compartilhar abaixo algumas delas


Crédito da Imagem: Imagem de Krzysiek

1. Escolha o assunto e encontre um recorte

Nada ajuda a aliviar o medo de falar em público mais do que conhecer o seu material, portanto, estude a fundo o tema.
Como diz o “explicador profissional” Rodrigo Geribello,  escolha o que do seu assunto você vai falar para que o(s) outro(s) se interesse(m) e queiram saber mais.

2. Crie um roteiro

Saber “como” falar é fundamental e tão ou mais importante do que o contéudo. Mesmo que não seja de forma totalmente estruturada, é sempre bom ter algum guia ou mapa que te auxilie a manter o foco e contar uma história coerente com começo, meio e fim e que faça sentido para aquele grupo específico de pessoas.
Uma mesma história pode ser contada de diversas maneiras. Explore as diferentes opções e escolha uma delas.

3. Treine antes

Você já assistiu a alguma apresentação de Stand-Up Comedy e ficou com a sensação de que o comediante inventou aquelas piadas na hora, falando de supetão?Por tras desta aparente espontaneidade tem ensaio. Muito ensaio. Esses momentos de treino permitem testes e pequenos ajustes de rota. Uma palavra aqui, uma pausa acolá, até as piadas podem ser checadas previamente. 
Não abra mão deste recurso.

4. Conexões

Como o objetivo é mostrar/contar algo ao outro, estabelecer conexões é fundamental.A primeira conexão é consigo mesmo: Como está meu corpo? Que emoções estou sentido? Meditação, alongamento, orações. Separe uns minutinhos só seus antes de começar a apresentação. A única regra aqui é ficar em contato com você mesmo.

Conexão com o público

Quem é essa platéia? É muita gente? É só uma pessoa? O que eu sei sobre eles?Como estão as pessoas? Atentas? Cansadas? Apressadas? Desinteressadas?Sintonize na mesma frequência e convide o público para a sua jornada. Traga eles para perto de você

Conexão com o ambiente

Conhecer o espaço físico pode ajudar você a se sentir mais aclimatado e confortável. Testar equipamentos (microfones, laptop com sua apresentação, clicker, etc.) com antecedência é sempre uma boa idéia, embora nem sempre possível.Procure chegar um pouco antes do seu horário. Se for um evento com outras apresentações,  assista a algumas delas de forma atenta. Perceba o ambiente como um todo e utilize isto ao seu favor.

Espero ter despertado em você o interesse em saber mais.
Se este for o caso, vamos conversar. Será um prazer trocar idéias e, quem sabe, te ajudar a fazer apresentações não necessariamente espetaculares mas, sem dúvida, marcantes.
Sucesso!

Crédito da Imagem: Imagem de Krzysiek por Pixabay Krzysiek por Pixabay